Just another free Blogger theme

Tecnologia do Blogger.

Feed

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner


Videos

Loading...

Seguidores

Blog Archive

Postagens populares

19 agosto 2013





Como começou
LATEX é um sistema tipográfico adequado para produção de documentos, principalmente científicos e matemáticos, e é basicamente um pacote de macros (comandos) do TeX. Foi criado por Leslie Lamport e hoje em dia é mantido por uma equipe liderada por Frank Mittelbach.
O TeX começou a ser desenvolvido por Donald E. Knuth em 1977, visto que ele achava que não existia um sistema bom para a criação de documentos, livros e etc. Na sua história, o TeX acumula um número muito pequeno de bugs, sendo um sistema muito estável, de alta qualidade e está disponível em quase todas as plataformas existentes. O TeX, como ele é hoje, foi escrito em 1982 e modificado em 1989 para suportar caracteres de 8 bits.
Diferentemente dos sistemas atuais que são WYSIWYG (What You See IWhat Tou Get - o que você vê é o que você tem), onde temos um menu com todas as funções, sendo assim mais fácil, mas totalmente limitado, pois agrega apenas o básico que um processador de texto deve ter. Já no LATEX usa-se tags para produção de um código fonte. Esse código fonte pode ser produzido em qualquer editor de textos simples e depois de produzido é submetido a uma versão do LATEX, a qual formata o texto de acordo com o código fonte, gerando um documento final no formato escolhido dentre muitos possíveis. Ainda existem editores para o LATEX que facilitam a formatação e a produção dos documentos, pois contém ferramentas para inserir Tags prontas, por exemplo:
  • Para GNU/Linux: KileTexmaker
    winefishLyX
  • Para Mac/OS:iTeXMac
    VIM
    TeXShop

    Vantagens
    1. O seu documento terá um aspecto mais profissional;
    2. Fórmulas matemáticas, gráficos e bibliografias conforme regras pré-estabelecidas são facilmente escritas como devem ser, sem precisar adaptar nada;
    3. Número muito pequeno de comandos para fazer um documento básico;
    4. A formatação do documento é facilmente feita, gerando assim documentos bem estruturados;
    5. Os documentos podem ser salvos em vários formatos, facilitando assim a divulgação do mesmo;
    6. Pode ser usado em praticamente todas as plataformas, por isso não precisa se preocupar se o destinatário vai conseguir visualizar, pois ele vai conseguir visualizar;
    7. O número de bugs existentes somados aos resolvidos é ínfimo;
    8. Monografias e Trabalhos de conclusão de curso normalmente são feitos em LATEX, assim como livros e trabalhos acadêmicos;
    9. Roda em quase todas as maquinas, visto que a necessidade de memória é muito pequena, portanto você não precisa ter um supercomputador para usar o LATEX;
    10. Dentre varias outras vantagens.
    No LATEX o autor decide tudo a respeito da estrutura do texto com simples comandos. Desde o espaçamento entre linhas e palavras, a fonte e o tamanho da letra usada até o papel que será usado para a visualização.
    A formatação do texto é feita uma única vez, caso opte por isso, ficando todo o documento estruturado como foi decidido no inicio. Com isso o autor se preocupa mais com o conteúdo do documento do que com a estrutura, visto que isso o LATEX resolve facilmente.

    Fazendo o Download
    1. Como já sabemos, o LATEX é grátis, portanto qualquer um pode fazer o download, instalá-lo e fazer uso sem custos;
    2. O site do projeto LATEXhttp://www.latex-project.org/, contém informações e é onde você pode fazer o download para começar a aprender e usar o LATEX;
    3. Dependendo do sistema operacional usado você pode instalar diferentes distribuições. No nosso curso nos basearemos no teTeX para Linux e MikTex para Windows, mas você pode escolher a distribuição que quiser.
    Instalando
    1. Feito o download da distribuição LATEX agora você vai precisar de um editor, nós usaremos o Kile para Linux e o TeXShell para Windows;
    2. Após baixar a distribuição e o editor escolhidos partiremos para a instalação;
    3. Caso o seu sistema operacional seja o Windows, basta instalar normalmente. Caso use Linux e seja o administrador do sistema, siga as instruções diretamente do site do teTeX; caso contrário peça ao administrador que o faça.

      OBJETIVO

      Capacitar o usuário para o uso autônomo do recurso LATEX e suas ferramentas mais utilizadas.

      PÚBLICO ALVO

      Usuários finais que desejam utilizar o LATEX para a edição de seus documentos.

      PRÉ-REQUISITOS

      Os usuários deverão ser, necessariamente, funcionários públicos e ter conhecimentos básicos para operar um computador. Conhecimento básico de lógica de programação pode ser necessário.

      DESCRIÇÃO

      O curso será realizado na modalidade Educação a Distância e utilizará a Plataforma Moodle como ferramenta de aprendizagem. O curso tem duração de uma semana e possui um conjunto de atividades (lições, fóruns, glossários, questionários e outros) que deverão ser executadas de acordo com as instruções fornecidas. O material didático está disponível on-line de acordo com as datas pré-estabelecidas em cada tópico. As versões adotadas para a implementação do LATEX são o MiKTeX 2.5 para o Windows e teTeX 3.0 para o Linux. Caso possua outra versão, podem ocorrer diferenças com relação a este material.

      METODOLOGIA

      O curso está dividido da seguinte maneira:

      CronogramaDescrição das atividades
      De Segunda-Feira a DomingoLição 1 - Introdução;
      Lição 2 - Criando um Documento;
      Lição 3 - Fórmulas, Cálculos e etc;
      Lição 4 - Acabamento final.
      Quinta-Feira a DomingoAvaliação de aprendizagem
      Avaliação do curso

      As lições contém o contéudo principal. Elas poderão ser acessadas quantas vezes forem necessárias, desde que esteja dentro da semana programada. Ao final de uma lição, você receberá uma nota de acordo com o seu desempenho. Responda com atenção às perguntas de cada lição, pois elas serão consideradas na sua nota final. Caso sua nota numa determinada lição for menor do que 6.0, sugerimos que você faça novamente esta lição.
      Ao final do curso será disponibilizada a avaliação referente ao curso. Tanto as notas das lições quanto a da avaliação serão consideradas para a nota final. Todos os módulos ficarão visíveis para que possam ser consultados durante a avaliação final.
      Aconselhamos a leitura da "Ambientação do Moodle" para que você conheça a plataforma de Ensino a Distância, evitando dificuldades advindas do "desconhecimento" sobre a mesma.
      Os instrutores estarão a sua disposição ao longo de todo curso. Qualquer dúvida deverá ser enviada no fórum. Diariamente os monitores darão respostas e esclarecimentos.

      PROGRAMA

      O curso de LATEX oferecerá o seguinte conteúdo:
      • Uma Pequena Introdução;
      • Produção de documentos simples;
      • Matemática e o LATEX;
      • Acabamento.

      AVALIAÇÃO

      Toda a avaliação será feita on-line.
      Aspectos a serem considerados na avaliação:
      • Iniciativa e autonomia no processo de aprendizagem e de produção de conhecimento;
      • Capacidade de pesquisa e abordagem criativa na solução de problemas apresentados.
      Instrumentos de avaliação:
      • Participação ativa nas atividades programadas.
      • Avaliações dentro das lições.
      • Avaliação ao final do curso.
      Ao final do curso, o participante fará a avaliação final referente a todo o conteúdo do curso. Para a aprovação e obtenção do certificado o participante deverá obter nota finalmaior ou igual a 6.0 de acordo com a fórmula abaixo:
      Nota Final = ((ML x 3) + (AF x 7)) / 10
      ML = Média aritmética das lições
      AF = Avaliação final
      Sua participação será importante em todas as atividades propostas.

      REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

      Apostila sobre LATEX em alemão: http://www.ctan.org/tex-archive/info/lshort/german
      Tradução para o Português da apostila acima: http://aquarius.ime.eb.br/~pinho/pessoal/latex/lshortBR.pdf
      Site oficial: http://www.latex-project.org/
      Site oficial do teTeX: http://www.tug.org/teTeX/
      Site oficial do MikTeX: http://www.miktex.org/2.5/Setup.aspx

      O LATEX tem algumas particularidades que merecem nossa atenção antes de começarmos a fazer nosso texto em si.
      Caracteres Especiais
      & $ # % _ { } ^ ~ \
      que para serem usados precisam ser digitados como:
      \& \$ \# \% \_ \{ \} \^ \~ \textbackslash

      Espaçamento
      No LATEX, os espaços consecutivos são tratados como se fossem um espaço apenas. Para incluir mais um parágrafo consecutivo é necessário usar barras invertidas separadas por um espaço em branco. "\ \ \ \ \"
      Agora, caso queira criar espaços de tamanhos definidos podemos usar:
      \hspace{valor} Para espaços horizontais
      \vspace{valor} Para espaços verticais

      O "valor" tem de ser acompanhado da sigla da unidade, por exemplo: 5cm ou 3mm

      Para definir o final de uma linha podemos usar duas barras invertidas "\" ou usar o comando \newline
      No LATEX uma linha em branco define o fim de um parágrafo.

      Palavras Acentuadas
      Como o LATEX foi escrito direcionado para a língua inglesa, a qual não tem acentos, os acentos não foram incluídos, por isso criou-se comandos especiais que possibilitavam acentuar as palavras.

      acento agudo: \'<letra>;
      til: \~<letra>;
      acento circunflexo: \^<letra>;
      cedilha: \c{c} ou \c{C} ou \c c ou \c C;
      acento grave: \`<letra>;

      Mais recentemente o uso dos acentos foi facilitado devido a inclusão de pacotes que incluíam diversas línguas e suas especificações, por isso usando esses pacotes, como o \usepackage{portuges, brazil}[babel], que já foi citado, o uso dos acentos se processa como usamos naturalmente.

      Títulos, Capítulos e Sessões

      Para o texto ficar melhor estruturado recomenda-se dividí-lo em capítulos e usar títulos, para isso usamos os comandos:
      \section{...}
      \subsection{...}
      \subsubsection{...}
      \paragraph{...}
      \subparagraph{...}

      O título do documento como um todo é gerado através do comando \maketitle{...}

      Listas

      Para o documento ficar com o formato de listas temos os comandos:

      Lista de Itens:
      \begin{itemsize}
      \item Ubuntu
      \item Kurumim
      \item Debian
      \end{itemsize}

      produz:
      • Ubuntu
      • Kurumim
      • Debian
      Lista Numerada:

      \begin{enumerate}
      \item Ubuntu
      \item Kurumim
      \item Debian
      \end{enumerate}

      produz:
      1. Ubuntu
      2. Kurumim
      3. Debian
      Lista Numerada e com Letras:

      \begin{enumerate}
      \item Ubuntu
      \begin{enumerate}
      \item Kurumim
      \item Debian
      \end{enumerate}
      \end{enumerate}

      produz:
      1. Ubuntu
        (a) Kurumim
        (b) Debian

      Justificar o Texto
      Para justificarmos um texto precisamos usar os comandos "center", para centralizado, "flushleft", para alinhar à esquerda e "flushrigth" para alinhar à direita.
      Exemplo de um texto justificado à esquerda:

      \begin{flushleft}
      Texto...
      \end{flushleft}



      Agora poderemos fazer nosso primeiro documento! Simples, mas já é um começo.


      Como já sabemos o básico com certeza somos capazes de produzir nosso primeiro documento no LATEX. 
      Segue abaixo nosso primeiro documento no LATEX:

    4. Alguns caracteres, por terem alguma função extra na compilação, não tem sua apresentação da forma simples, como em editores de textos convencionais. Para serem usados eles necessitam ser precedidos por uma barra invertida, como por exemplo:
Documento

Estrutura


A linguagem $\LaTeX$ funciona à base de comandos que são iniciados com \, que é um marcador
(tags, de Tag languages).
Os comandos são escritos nas formas \comando ou \begin{comando}...\end{comando}.
Quando vem escrito nesta última forma, ele é chamado de ambiente.
O texto de cada tipo de documento começa com \begin{document} e termina com
\end{document}. Tudo o que vem antes disso é considerado o preâmbulo e tudo o que vem
depois de \end{document} é ignorado.
É no preâmbulo que são colocadas todas as informações referentes às principais características
que terá seu documento. Começa com \documentstyle{estilo} no caso do $\LaTeX$
2.09 e com \documentclass{estilo} no caso do $\LaTeX$2" (segunda edição).
No lugar de estilo é colocado o nome de um dos estilos pré-definidos, como:
article Textos pequenos;
report Relatórios;
book Livros, apostilas;
letter Cartas.
Obs: Os estilos não são apenas estes. Geralmente congressos, universidades e outros meios
disponibilizam outros estilos de formatação para apresentação de trabalhos. Isso mostra uma
das vantagens do $\LaTeX$, que é a flexibilidade para se criar novas formatações que atendam à diferentes nescessidades.
Podem, também, ser selecionadas algumas opções dentro do estilo escolhido, como:
• Tamanho: Padrão da letra: 11pt ou 12pt(pontos), o último é usado com mais freqüência;
• twoside: Imprime em ambos os lados da página;
• oneside: Imprime em um só lado da página;
• twocolumn: Produz o texto disposto em duas colunas na página;
• onecolumn: Produz o texto disposto em uma coluna;
• landscape: Produz uma página na forma de paisagem;
• leqno: Faz com que a numeração das fórmulas seja colocada à esquerda em vez de à
direita;
• fleqn: Faz com que as fórmulas fiquem localizadas na margem esquerda em vez de
estarem centralizadas;
• openright: Faz com que os capítulos sejam iniciados apenas nas páginas ímpares;
• openany: Permite que os capítulos sejam iniciados nas páginas ímpares ou pares.
• Tamanho da folha: Pode ser a4, letterpaper etc..
Essas opções são colocadas entre colchetes, sem espaço entre as palavras e com vírgula.
Ex:
\documentstyle[twocolumn,12pt,a4]{article}
\usepackage{pacote}
\begin{document}
.
.
.
\end{document}
Obs: caso a opção twocolumn não tenha sido declarada no preâmbulo, existe o comando
\twocolumn que produz o texto em duas colunas a partir do ponto onde foi colocado, iniciando
uma nova página. Para reverter ao modo inicial, utilize o comando oposto; no caso, o
\onecolumn .


Pacotes

Pode-se definir pacotes como um conjunto de arquivos que implementam uma determinada
característica adicional para os documentos escritos em $\LaTeX$.
Quando o usuário quiser montar um documento um pouco mais elaborado, perceberá que
os comandos básicos que o $\LaTeX$ contém não são suficientes, sendo necessário o uso de algo que aumente a sua capacidade.
Alguns pacotes já vêm como distribuição básica do $\LaTeX$, outros podem ser encontrados
separadamente (veja a referência [4]) pois a todo momento novos pacotes são criados por
usuários em todo o mundo.
Estes pacotes são inseridos no preâmbulo usando o comando
\usepackage[opções]{pacote}
Ao longo de toda a apostila serão apresentados pacotes com diferentes funções. Abaixo,
segue a lista com uma breve descrição de alguns deles. O funcionamento de cada um será
explicado posteriormente.
Os principais são:
graphicx Para inserir gráficos.


color Para usar cor no seu texto. 
babel Para traduzir nomes que aparecem em inglês na estrutura do documento. Ex: chapter,
section, tableofcontents, etc. Neste caso, para que estas palavras sejam traduzidas para
o português brasileiro, use a opção [brazil].
fontenc Permite que o LaTeX compreenda a acentuação feita direto pelo teclado. É usado
com o opcional [T1].
amsfonts Define alguns estilos de letras para o ambiente matemático;
fancyhdr Para fazer cabeçalhos personalizados. 
Obs: Nem todos os pacotes são compatíveis com qualquer versão do  $\LaTeX$. Os criadores,sempre que criam novos pacotes, tentam deixá-los compatíveis com qualquer versão do LaTeX, porém algumas vezes isso não é possível.
É muito simples saber se seu sistema possui determinados pacotes, ou instalá-los: basta
consultar o manual dele. Caso o usuário esteja escrevendo algum documento e precise mudar
constantemente de computador, mas não sabe se o sistema deste possui o pacote que seu
documento precisa, basta copiar todos os arquivos do pacote e deixar no mesmo diretório em que seu documento está. Quando o L $\LaTeX$ está compilando o documento, o arquivo do pacote será procurado no caminho padrão do sistema ou no próprio diretório do seu documento.
Por exemplo, imagine que você esteja escrevendo um trabalho e que ele deva seguir um
determinado modelo que um congresso exija. Provavelmente, seu sistema não terá instalado o pacote que faz isto. O que fazer então? É só pegar os arquivos deste pacote e deixar no mesmo diretório do arquivo do trabalho. Quando compilar, o $\LaTeX$ lerá os arquivos deste pacote e gerará o documento no formato desejado. E se for preciso mudar o sistema operacional, não haverá problema algum, basta andar sempre com estes arquivos (que são pequenos, poucos
kilobytes) junto com os arquivos de seus documentos.
Cada pacote possui um manual com os comandos e suas funções. Alguns dos pacotes
descritos nesta apostila foram explicados de acordo com o manual deles, disponíveis no próprio sistema. Lembrando, basta um pouco de curiosidade para descobrir a quantidade de recursos oferecidos pelo  $\LaTeX$. Basta ler o manual do sistema e descobrir como trabalhar com pacotes.
Há uma infinidade deles com as mais diferentes funções.

Texto
Acentuação

Quando o pacote fontenc não tiver sido declarado, a acentuação no $\LaTeX$ é feita com comandos
da seguinte maneira:
• \c{c} – ç
• \‘{e} – è
• \’{e} – é
• \^{e} – ê
• \~{e} – ˜e
• \"{q} – ¨q

Sentenças e Parágrafos


Estamos acostumados a visualizar o espaçamento entre palavras de acordo com o número de vezes em que apertamos a tecla de espaçamento. Já no $\LaTeX$, isso não importa, dado que sempre será contado apenas um, independentemente da quantidade de espaços inseridos.
O primeiro parágrafo será iniciado sem identação, como pode ser observado logo acima. O comando \indent adiciona uma largura igual ao tamanho da identação do parágrafo normal e o comando \noindent retira a identação do local onde ela deveria aparecer. Estes comandos funcionam somente para alguns estilos.
Para criar um novo parágrafo, basta pular uma linha ou utilizar o comando \par no lugar em que será iniciado o novo parágrafo.
Para passar para a linha abaixo da qual se está digitando, coloque \\ e a linha será quebrada neste ponto. Ex:
observe que esta linha está\\
quebrada após o\\
uso das duas barras.
observe que esta linha está quebrada após o uso das duas barras.
Usando o comando \linebreak a linha é quebrada e a parte anterior ao comando fica justificada.
Ex:
Esta linha está \linebreak justificada.
Esta linha está justificada.
Quando o comando \newpage é usado, o texto passa para a próxima página. O comando 
\pagebreak[num] força a quebra da página, onde o argumento opcional [num] é um valor inteiro de 1 a 4 que define a prioridade do funcionamento do comando, onde 4 é o maior valor.
O comando \nopagebreak[num] faz o inverso de pagebreak, ou seja, impede que a página seja quebrada no local onde o comando foi colocado.
Obs: Os comandos \\* e \\[medida] tem a mesma função do comando \\. A diferença está no fato de que \\* impede que o texto mude de página na quebra daquela linha e que \\[medida] quebra a linha, porém acrescentando o espaço que está determinado entre colchetes.

Alinhamento
Usando o ambiente center o texto poderá ser centralizado.
Com o ambiente flushleft o texto é alinhado a esquerda.
E com o ambiente flushright o texto é alinhado a direita.

\begin{center}
texto
\end{center}
texto
\begin{flushleft}
texto
\end{flushleft}
texto
\begin{flushright}
texto
\end{flushright}
texto
Obs: As linhas são apenas para facilitar a visualização.
2.2.4 Símbolos especiais
O LaTeX possui 10 caracteres especiais com os quais são digitados comandos:
~ ^ \ # $ % & _ { }
Para que eles apareçam no texto, coloque \ na frente. Veja a tabela de símbolos no
apêndice.
2.2.5 Traços (-)
Podem ser feitos três diferentes tamanhos de traços se digitados uma, duas ou três vezes ( - )
Ex:
- com -
– com --
— com ---
2.2.6 Estilos de letras e Tamanhos
As palavas podem ser colocadas em:
\textbf{negrito} negrito
\textsf{sans serif} sans serif
\textsl{slanted} slanted
\textsc{small caps} small caps
\texttt{letra de máquina} letra de máquina
\textrm{romano} romano
Os comandos \bf, \it, \sf, etc..., também podem ser usados e fazem parte do LATEX
2.09.
O texto inteiro também pode ter o tipo de letra diferente do romano, que é o padrão.
Basta usar os comandos:
• \sffamily - Para colocar o texto no tipo sans serif

• \ttfamily - Para colocar o texto no tipo letra de máquina




Reações:


Olá Pessoal pessoal se você gostou da postagem me mande um email para sugestão ou perguntas fmbacelar@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário

Segue alguns símbolos, caso necessitem utilizá-los:
____________________________________________


α β γ δ ∆ λ μ Ω ο ρ φ χ ψ ξ ε η θ π ∂ ∑ ∏ ℮ אօ ∞ ℝ ℕ ℚ ℤ Ø f◦g
½ ¼ ¾ ½ ⅓ ⅔ ⅛ ⅜ ⅝ ⅞ ² ³ ¹ º ª ₁ ₂ ₃ ₄ ≈ ≠ ≡ ∀ ∃ ⇒ ⇔ → ↔
∈∋∧ ∨ ⊂ ⊃ ∩ ∪ − + × ± ∓ ÷ √ ∛ ∜ ⊿∟ ∠→ ↑ ↓ ↕ ← ≤ ≥
outros
√ ∇ ∂ ∑ ∏ ∫ ≠ ≤ ≥ ∼ ≈ ≅ ≡ ∝ ⇒ ⇔ ∈ ∉ ⊂ ⊃ ⊆ ⊇ \ ∩ ∪ ∧ ∨ ∀ ∃ ℜ ℑ

Postagens Relacionadas